3.29.2010

Qual a Importância da Estimulação Precoce?


Antigamente, predominava a crença de que o ser humano nascia com uma espécie de despertador biológico ( “The Alarm Clock Theory” ). Assim, as crianças atingiriam todas as etapas do desenvolvimento visual-motor, naturalmente, segundo seu próprio tempo e ritmo, sem a necessidade de serem estimuladas para isso. Afinal, todas seriam “biologicamente programadas” para tal.
Nos últimos vinte anos, porém, inúmeras pesquisas sobre o desenvolvimento cerebral dos primeiros anos derrubaram definitivamente a crença do "despertador biológico". Ficava cada vez mais claro que para o cérebro se desenvolver, era imprescindível expor o bebê a uma variada gama de estímulos. O que vemos, então, é que se uma criança for privada de certos estímulos em tenra idade, mais tarde poderá apresentar deficiência de aprendizagem e/ou dificuldades específicas em determinadas áreas ( como por exemplo esportes, música, matemática, leitura, etc.)
A falta de estímulo e oportunidade também é o que explica o fato de muitas crianças não engatinharem, ou não arrastarem quando bebês. “Queimam”, assim, etapas importantíssimas do seu desenvolvimento motor. Mais tarde essa perda lhes fará falta, pois o cérebro deixará de formar conexões essenciais. Isso poderá se traduzir ainda em dificuldades de leitura, problemas visuais, problemas na apreciação de detalhes e outros. E sabe por que? Porque a região do cérebro que controla essas habilidades precisa de conexões provenientes do ato de engatinhar para se desenvolver adequadamente.
Dentre os principais pesquisadores nessa área, destacamos Glenn Doman, que por mais de 50 anos tem estudado centenas de milhares de criancinhas (normais ou com problemas neurológicos) nos Institutos da Filadélfia. Doman foi, aliás, um dos precursores desses estudos.
Ressaltamos ainda que se um bebê for totalmente privado de estímulo luminoso nos primeiros seis meses de vida, ficará cego de maneira irreversível.
Diante de tudo isso,concluímos que se houvesse um despertador biológico, então todas os bebês arrastariam e engatinhariam, sem a necessidade de estímulos para isso.
Hoje já sabemos que quanto mais estímulos, mais sinapses o cérebro fará, e quanto mais sinapses, mais inteligente será o indivíduo. É nesse sentido que você pode tornar seu filho mais inteligente. Como dizia Glenn Doman, o cérebro cresce com o uso, e não com o tempo!
Mas atenção!Estimulação precoce não é o mesmo que ingresso precoce na escola. Na verdade, os maiores e melhores estimuladores são os pais, devido ao forte vínculo afetivo com os filhos.

Referências:
Caine,G (1994)
Kotulak (1996)
Shore,Rima (1997)
Sylvester, R (1995)
Brownlee, S.( 1998)
Shiller,P (1997)
Doman, G  (1989)
Harvey,N (2000)

A. J. Portela

Obs. Caso precise de referências mais detalhadas, poderá solicitar, deixando uma mensagem.

23 comentários:

  1. Voltei no tempo e fui ler uma postagem antiga, achei super interessante. Tenho amigas que estimulam demais os seus filhos, e algumas me dizem que devo estimular mais o meu, eu estimulo sim, porém quero respeitar o limite dele e deixar que as descobertas acontecam aos poucos, mais se vejo o tempo passando, estimulo com muito mais frequencia o que quero que ele aprenda!

    Amo seu Blog acho muitissimo interesante , isso é sem falar que é muiuuuuuto lindo...

    Beijos super carinhos!!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, amiguinha, você é muito gentil. Você tem razão. Além do ritmo da criança, também tem o ritmo da mãe... nós não damos conta de fazer tudo, não é? E, sem dúvida os estímulos mais importantes são os abraços, conversas, beijos, carinhos, atitudes positivas. Em segundo lugar vêm os estímulos motores, que são imprescindíveis. Continue seguindo sua intuição!

    ResponderExcluir
  3. Boa noite o temada minha monografia tem haver com a estimulação precoce na educação infantil. Gostaria da sua ajuda. Preciso de livros bons que fale do assunto e material, como essa texto que vc postou,me ajudou bastante. Me mande para o email: sanesousa@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, Julia!
    Minha filha tem apenas 14 dias de idade. Com que idade posso começar alguma atividade?
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Leo

    Desde o primeiro dia de nascimento, o bebê já pode e deve ser estimulado. Alguns exemplos de estímulo: cantar para o bebê, conversar muito, tocá-lo, estimular o reflexo de preensão palmar, massagear, colocar o bebê em diferentes posições durante o dia ( de lado, de costas, de bruços - se ele estiver acordado).
    E, sabe, você me deu uma idéia. O próximo post será sobre esse assunto.

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Obrigado pela resposta! Só hoje consegui vê-la, porque eu não me lembrava em que post eu tinha feito a pergunta. Hehe...

    ResponderExcluir
  7. Olá Julia, parabéns pelo blog, é interessantíssimo! Eu estou com uma dúvida enorme e gostaria da sua opinião. Meu filho está com 2 anos e 4 meses, e estou pensando em colocá-lo em uma creche ano que vem, mas na verdade é mais uma preocupação com relação ao aprendizado e socialização dele (ele é muito tímido), no fundo eu gostaria de ficar com ele até os 4 anos (eu trabalho em casa). Você acha que é possível ensiná-lo em casa, sem prejudicá-lo?

    ResponderExcluir
  8. Olá, querida anônima. Obrigada pelo elogio.

    Você levantou os seguintes problemas:

    1) a socialização de uma criança de 2 anos e 4 meses;

    2) Você quer ensinar seu filho em casa até os 4 anos, mas tem medo que isso possa prejudicá-lo.

    Primeiramente, eu não aconselharia a creche antes dos 3 anos , porque até essa idade, a criança tem baixa tolerância a separar-se da mãe.

    Então, se você quer e pode cuidar do seu filho, por que entrágá-lo aos cuidados de terceiros?

    Não há prejuízo nenhum para a criança passar seus primeiros 4 anos de vida ao lado de sua mãe, aprendendo dela as primeiras lições. Tanto é assim, que o governo não nos obriga a matricular nossos filhos menores de 6 anos na escola.

    Você apenas precisa prover um ambiente estimulante, com brinquedos adequados à idade da criança, boa música e oportunidade de correr, pular, rolar e brincar ao ar livre. Além, disso, é importante conversar bastante, e responder às perguntas de seu filho.

    No entanto se você estiver muito preocupada com a socialização, espere seu filho completar 3 anos, e deixe-o na creche 3 dias na semana, mas por apenas meio período.
    Esse tempo é perfeitamente razoável para um pequenino.

    Finalizando, recomendo a leitura desses dois livros:

    "Quem vai educar seus filhos?", de Steve Biddulph (parece-me que o título mudou)

    "A Criança terceirizada", de José Martins Filho

    A leitura desses livros, sem dúvida, a ajudarão a tomar uma decisão.

    Abraços
    29/09/2011 11:07:00
    Ana Júlia disse...

    ResponderExcluir
  9. Nossa! Obrigada pelo retorno tão rápido! E agradeço mais ainda as suas dicas. Fiquei mais tranquila. Lerei os livros indicados e já estou aplicando os métodos mostrados aqui no seu blog. Meu filho ainda não sabia as cores, mas ontem fiquei ensinando durante a tarde, da maneira como você explicou em outro post, não é que ele hj de manhã me mostrou os cartões com as cores certinhas?! Meu erro foi mostrar diversas tonalidades, confundia meu filhote todo!

    ResponderExcluir
  10. Oa Ana Júlia, AMEI o seu texto, parabéns pelo lindo trabalho, sou fisioterapeutas à 24 anos e trabalho só com crianças, tenho um grupo de mães no meu Facebook, e eu vou divulgar seu maravilhoso blog. gostaria de trocar idéias com vc, como podemos
    ??? Sou de Salvador, bjs e sucesso !!!!

    ResponderExcluir
  11. Oa Ana Júlia, AMEI o seu texto, parabéns pelo lindo trabalho, sou fisioterapeutas à 24 anos e trabalho só com crianças, tenho um grupo de mães no meu Facebook, e eu vou divulgar seu maravilhoso blog. gostaria de trocar idéias com vc, como podemos
    ??? Sou de Salvador, bjs e sucesso !!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marina

      Que prazer tê-la aqui. Eu também gostaria muito de trocar idéias com você, aprender com sua experiência, que é rica e sólida. Meu email é ensineseubebe@gmail.com

      O seu feedback é muito importante para mim.

      Grande abraço

      Excluir
  12. Olá Ana Júlia!

    Meu nome é Angélica, sou mãe de um bebê de 1 ano e 10 meses e desde que encontrei seu site tornei-me inquieta no sentido de estimular ainda mais o meu filho. Ele é bem esperto, fala bastante, memoriza bem situações, nomes de pessoas, animais, conta a história do dia, por exemplo: brincou Letícia, jogou bola, foi vovó... mas vejo o quanto posso usufruir dessa inteligência dele...
    Bom, mas vendo tantas dicas que vc dá, fico com a pergunta: como ela consegue fazer isso tudo? Se ela faz, como organiza o seu dia?
    Então Ana, gostaria que você me desse uma dica de como misturar todos esses métodos variados, sem que isso seja uma sobrecarga e sem que traga confusão pra cabaça de pequeno.
    Abri mão de meu trabalho exatamente por entender o quanto seria importante a minha presença integral na vida dele, pois há coisas que só a mãe(ou o pai) podem fazer (e querem, e interessam-se). Portanto fico com ele o dia todo, todos os dias (e AMO, diga-se de passagem - rs).
    Por fim, quero te parabenizar não só pelo seu blog, mas pela mãe que vc mostra ser. Obrigada por disponibilizar tudo isso pra nós!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Angélica. Obrigada por suas palavras animadoras.
      Achei muito pertinentes as questões levantadas por você. Então, vamos lá:

      1)Bem, minha situação era semelhante à sua. Interrompi minha carreira por 8 anos, porque sabia que não poderia delegar minha missão de mãe à ninguém. Foi difícil, pois não contei com avós, babá, nem escolinha.
      Então, houve uma época em que realmente eu fazia todas essas atividades! Mas eu realmente não sei como eu dava conta. Hoje, não consigo mais. Simplesmente não dou mais conta de fazer tudo isso.
      No entanto o que mais me desgastou foi a confecção do material (brinquedos, cartões de leitura, jogos matemáticos, livros adaptados, ufa!). De dia eu estava ocupada com a casa e as crianças; de noite, com a confecção do material a ser usado no dia seguinte.

      2) Na verdade, eu não usava todos esses métodos ao mesmo tempo. Houve uma fase em que usei só Doman, outra em que complementei com Montessori. Eu mudava, conforme minhas filhas mudavam. Geralmente, era assim: queria que elas adquirissem determinado conhecimento, então busacava as técnicas mais eficazes, mais adequadas àquele fim.

      3) Essas atividades não sobrecarregam os pequenos (a não ser que eles sejam forçados a participar), mas podem sobrecarregar - e muito - a mãe. O método Doman em especial, sugou minhas energias. Por isso, há uns dois anos parei de usá-lo.

      4) A dica que eu lhe dou é que você não se preocupe em fazer todas as atividades propostas aqui. O que não pode faltar no dia-a-dia do seu menino são as atividades psicomotoras (coordenção fina, coordenação ampla, equilíbrio), atividades sensoriais e conversas com a mamãe, descrevendo como as coisas funcionam, fazendo perguntas a ele (" Qual das chaves é a maior?", ou "em qual dos pratos tem mais morangos?"). Se você fizer isso, já estará proporcionando a seu filho oportunidades fantásticas de desenvolvimento. Seu filho tem sorte por tê-la como mãe!
      Excluir

      Excluir
    2. Entendi Ana! E agradeço por sua resposta.
      No momento, estou na expectativa de começar a usar o método Doman. Já estou com o material para ser confeccionado, mas falta o principal, o livro, que uma amiga vai me emprestar, mas que está perdido em sua casa - rs. Estou ansiosa para começar!
      Enquanto o livro não chega, além de outras coisas que faço com ele, estou lendo um versículo bíblico pequeno toda noite antes de dormir, de forma que ele vai repetindo, além de orar com ele depois, um hábito que ele já tem, pois desde que nasceu cultivamos isso.
      Valeu pelas dicas!
      Um abraço

      Excluir
    3. Angélica, que lindo você ler os versículos para ele. Muito importante direcionar essa pequenina mente em formação, para as coisas espirituais. Olhe, se quiseres, me manda um email, pois gostaria de compartilhar com você mais algumas informações a respeito do método Doman.

      ensineseubebe@gmail.com

      Excluir
  13. Oi Angélica, td bem?
    Muito legal seu blog...
    Meu filho tem 3 anos e esse é o primeiro ano que está indo a escola. Porém, começou a se tornar agressivo, se isolar, etc, e levei-o em uma psicologa infantil. Tanto ela, quanto a escola diagnosticaram ele como muito inteligente, bem mais que a média para a idade dele. Gostaria de saber como continuar a estimulá-lo e se vc poderia me indicar livros, sites, etc... Obrigada. Luciana.

    ResponderExcluir
  14. SOBRE ESSE LIVRO COMO POSSO ENCONTRAR, PARA QUE EU POSSA ESTIMULAR O MEU FILHO, PORQUE AOS 3 ANOS DE IDADE ELE NAO FALA NADA, NOS ACHAMOS E NEUROPEDIATRA ACHA QUE ELE POSSA SER UM AUTISTA, COMO EU E MINHA ESPOSA NAO ESTIMULA MUITO, ESSES LIVROS ME AJUDARIA MUITOS. AGRADECO

    ResponderExcluir
  15. Olá, Pedro

    Quero te indicar um site maravilhoso para estimular seu filho. É cheio de fotos e atividades simples. Muitas inclusive, são específicas para autistas ou para crianças que estão com dificuldades em seu desenvolvimento. VOcê vai adorar. Aqui vai:

    http://johannaterapeutaocupacional.blogspot.com.br/

    Dê uma olhada no menu lateral, que tem muita coisa lá. Leia tudo o que você puder.

    Você mencionou que queria um livro, mas eu não entendi qual é.

    Qualquer dúvida, pode me mandar um ipara

    ensineseubebe@gmail.com

    Abraços

    ResponderExcluir
  16. Adorei seu blog! Termino meu curso de Pedagogia no final deste ano e suas dicas com certeza me ajudarão no início desta carreira tão linda! Tenho uma filha de 6 anos e aos três ou quatro anos quis ensiná-la a ler, mas me puseram medo inclusive na Universidade, pois disseram que se fizesse isso estaria forçando uma aprendizagem precoce e que poderia prejudicá-la na fase escolar, fiquei com medo e mesmo vendo que ela era muito inteligente e aprendia fácil, não continuei. Hoje ela está com seis anos e vejo um pouco do que ensinei ela tem desenvolvido muito bem, e, após ler seu blog adoraria fazer um trabalho de leitura com ela, mas não sei por onde começar! Você pode me enviar algumas dicas, por favor? Ela ainda está na pré-escola, pois só completará sete anos em Maio de 2013.
    Também dou aulas de inglês para adolescentes e adultos, adoraria ensinar o idioma para os pequeninos, você tem alguma sugestão em relação a isso ou algum material que possa me ajudar?
    Meu email é: silvarosangela1987@bol.com.br

    Muito obrigada e parabéns pelo seu importantíssimo trabalho!

    ResponderExcluir
  17. Oi, tudo bom?
    Tenho dois bebês, um casal de 5 meses e adorei o teu blog!
    Quero saber como estimula-los, o menino é mais agitado, vira, gira, tenta engatinhar uma graça... A menina já é um pouco mais na dela, como ela é mais gordinha (está com quase 8kg), então ela fica mais parada, mas hoje fiz a técnica do polegar para estimular a força e a menina se saiu melhor, conseguiu sentar...
    Queria muito que você mandasse mais material sobre isso para meu email: almehcris@gmail.com

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Criei o Aletramento Materno para orientar sobre o desenvolvimento da leitura desde recém-nascido, meu trabalho é inspirado em Glenn Doman, adaptado de tal modo que os pais podem levar os brinquedos para qualquer lugar. Podem viajar e brincar, sempre aproveitando bem os momentos de lazer. Os pequenos adoram dar uma paradinha para brincar com as palavras confeccionadas ao longo do aprendizado de acordo com suas preferências. Reconheço que tenho dificuldade em estar navegando com mais frequência, mas estou sempre vendo os e-mails e atendendo as mães com muita disposição. Adoro responder as perguntas. Fiquei feliz em visitar mais esta iniciativa que tem sido um dos facilitadores para a compreensão do Aletramento Materno. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Oi, Kátia! Que bom vê-la por aqui! Abraços.

      Excluir

Related Posts with Thumbnails